Processo seletivo: como preparar um currículo vencedor

Como preparar um currículo vencedor

Encontrar emprego formal por aí não está sendo fácil e os números apontam isso:

  • O desemprego no país fechou agosto de 2019 com a taxa a 11,8%;
  • Já em maio de 2020 batemos o menor nível de trabalhadores com carteira assinada;
  • Quando a taxa de desemprego subiu para 12,9% em meio a pandemia.

Não queremos colocar nessa conta os trabalhadores que ocupam um nível profissional abaixo da sua formação, como os jovens com graduação completa, exercendo um cargo de nível médio.

É em cenários como esses que temos que ser criativos, pensar diferente dos concorrentes e estarmos preparados para as oportunidades que surgem. Como no caso do nosso amigo Gian Pery Alves, estudante de Engenharia Mecânica, que se preparou para mudar de emprego e aproveitou para agarrar um job que desejava muito.

Ao contar a sua história queremos mostrar que também é possível alcançar os seus próprios objetivos profissionais. Basta um pouco de paciência, determinação, conhecimento e algumas dicas de como estar no lugar certo, na hora certa.

Dicas que o nosso editor-chefe, Germano Ferreira, compartilhou com o Gian e que queremos dividir com mais pessoas.

Pode ser o conhecimento que faltava para você crescer na carreira, conseguir um espaço na área desejada e se recolocar profissionalmente.

Esta é uma série de três artigos que será dividida nas etapas de um processo seletivo simples:

Faltou alguma etapa e que você quer um conteúdo cheio de dicas sobre? Deixa aqui nos comentários!

Este primeiro texto ensina como montar um bom currículo e como chamar atenção dos recrutadores.

A carreira do Gian

O Germano e ele passaram juntos num concurso de nível técnico para uma concessionária de energia elétrica que atuava numa cidadezinha do norte gaúcho. Cultivaram uma amizade durante um ano inteiro, até seguirem rumos diferentes.

Gian se estabilizou na empresa e deu corpo a sua carreira com uma experiência profissional em eletrotécnica de quase oito anos.

Que jovem você conhece hoje que pode mostrar uma regularidade dessas?

A primeira lição sobre carreira que o nosso amigo nos deu, sem ele perceber, foi: a estabilidade pode ser monótona e exigir paciência, mas renderá bons frutos lá na frente.

É claro que quando um profissional desses bate a sua porta é difícil deixar escapá-lo, afinal jovens com oito anos na mesma empresa são raridades hoje em dia. Mesmo assim ele teve a humildade de procurar e pedir ajuda para se preparar para um processo seletivo, numa grande empresa do ramo de metal-mecânica.

Bruning Tecnometal

A empresa está há 71 anos no mercado e é uma das maiores do setor no sul brasileiro. Uma vaga de emprego aqui é sinônimo de garantia de uma carreira brilhante.

Era o que o Gian buscava ao se candidatar para uma vaga de estágio nesta empresa. Trocar a estabilidade de um emprego técnico e um bom salário para uma vaga de estagiário é o tipo de risco que ele tinha receio de tomar, mas seria necessário se um dia quisesse ser um engenheiro de sucesso.

Com o conhecimento técnico ele tomou a decisão e decidiu arriscar.

Gian viu a oportunidade e estava pronto para agarrá-la. Não chamamos isso de sorte no mundo profissional, mas sim de estar na hora certa; no lugar certo.

É preciso destacar que foram sete anos de preparação e não apenas as duas semanas de processo seletivo.

O que faltava pro Gian? Um currículo. E é aqui que entrou o nosso editor-chefe.

A partir de agora vamos montar o seu currículo, procurar a vaga ideal para aumentarmos as suas chances de contratação e mudar o seu ponto de vista sobre a relação do desempregado com o mercado de trabalho.

Afinal de contas, tem ou não tem espaço no mercado de trabalho?

Não vamos entrar naquele papo coaching de “seja a sua própria oportunidade” e ” o seu sucesso só depende de você”, ok? É cansativo demais!

Mas o fato é que: há criação de emprego.

Processo seletivo: como preparar um currículo vencedor
Sim, existe vaga de emprego! Photo by Clem Onojeghuo on Unsplash

O próprio LinkedIn divulga o número de vagas disponíveis na rede social: mais de 20 milhões de oportunidades.

Porém o que reflete a dificuldade de se encaixar numa vaga é a diferença de vagas disponíveis para o número de desempregados. Na rede social corporativa, por exemplo, existem 55 aplicações a vagas de emprego por segundo!

É por isso que você precisa se qualificar e buscar formas criativas para se destacar. Afinal, nem os 40% dos brasileiros com ensino superior completo estão ocupando cargos que exigem formação, imagina quem não tem uma faculdade.

Se você não der um jeito diferente e tiver pouca qualificação, vai ficar ainda mais difícil de conseguir uma oportunidade.

Vagas de emprego de péssima qualidade, crise econômica e políticas públicas escassas são as causas de você não conseguir um emprego? Sim e daí? O que você pode fazer hoje para mudar esse cenário e colocar comida na mesa?

A vaga ideal

Você concorda que existem mais chances de você se empenhar para conseguir passar num processos seletivo, para uma vaga num cargo que você realmente tem vontade de exercer?

E você concorda que é muito mais fácil uma empresa contratar você porque você demonstra (mais que o seu concorrente) que está realmente interessado em conquistar essa vaga?

Se sim, por que continuamos colocando esforço em tentar conseguir oportunidades de trabalho que não queremos realmente?

Perderemos tempo montando um currículo e um e-mail especialmente para aquela vaga, perderemos o tempo na entrevista de emprego e tudo isso para morrer na praia.


E se conseguirmos esse emprego, quanto tempo vamos nos manter nele?

Normalmente o tempo suficiente para conseguir o seguro desemprego, não é mesmo?

Agir dessa forma prejudicará o candidato em processos seletivos no futuro e aprendemos isso da pior forma: coleção de trabalhos de curta duração.

Já o Gian respondeu essas questões todas antes de colocar energia no processo seletivo para o estágio da Bruning. Ele não esperou sete anos para finalmente entrar numa empresa e num cargo que ele não dá a mínima, para ser demitido por falta de vontade depois de três meses.

Por isso, antes de montarmos o currículo, nós precisamos saber para onde queremos ir.

Vamos fazer esse exercício juntos e descobrir qual a vaga ideal para você. Anote as respostas das seguintes questões em um caderno (ou numa planilha) para usarmos adiante.

  • Qual o meu grande objetivo profissional (objetivo a longo prazo)?
  • Para alcançar esse objetivo, qual o primeiro emprego (objetivo a curto prazo) que eu preciso conquistar?
  • Que conhecimentos eu preciso ter para alcançar esse objetivo de longo prazo? O que eu preciso aprender?
  • Que conhecimentos eu tenho agora para conquistar o objetivo de curto prazo?
  • Quais os pontos positivos que posso demonstrar para conseguir o interesse da empresa? Como eu posso ajudar as empresas a alcançar os objetivos delas utilizando as minhas habilidades?
  • Quais os pontos negativos que podem atrapalhar o processo? Como posso melhorar ou controlá-los?
  • Que empresas oferecem a oportunidade que busco a curto prazo? Onde posso encontrar vagas que se encaixem com os meus objetivos?
  • Quem pode me ajudar e como posso me manter próximo dessas pessoas?

Veja que ao responder essas questões você terá o objetivo claro e recrutadores apreciam isso nos candidatos. Você também saberá que capacitações que precisa buscar e por onde começar a sua rede de contatos.

Se mantenha ativo e foque nos seus objetivos que o empenho será melhor recompensado.

Montando o currículo

É aqui que você vende o seu peixe pela primeira vez. Você apresentará o seu perfil profissional e apostará na sua experiência para conseguir a vaga.

O que a empresa quer ver num currículo?

  • O seu tempo de experiência e a capacidade de se manter em um emprego;
  • O que você tem feito profissionalmente nos últimos anos;
  • Quais conhecimentos/habilidades você adquiriu; e
  • Como poderá utilizar esses conhecimentos/habilidades nas tarefas do dia a dia.

Você irá responder essas curiosidades através da apresentação das suas atividades, que deixará implícito por onde você andou, quanto tempo desempenhou determinada tarefa e se terá o conhecimento suficiente para desempenhar o ofício que a função exige.

Como apresentar tudo isso num papel?

Recrutadores gostam de olhar pro currículo e encontrar a informação rapidamente. Por isso o visual do seu currículo é importante.

Para deixar a informação clara e mais fácil de ser encontrada recomenda-se dividir o currículo nas seguintes sessões:

  • Contato;
  • Formação acadêmica;
  • Experiência profissional;
  • Certificações e cursos;
  • Voluntariado; e
  • Experiência internacional.

Se você não possui conteúdo para preencher algumas dessas sessões não tem problema. Nesse caso é importante deixar claro porque você ainda não têm essas práticas e quais são suas aspirações profissionais.

Mostre que você tem interesse em seguir determinada carreira e o porquê disso.


Todas as pessoas têm habilidades para demonstrar aos recrutadores, por isso descreva-as caso você ainda não tenha experiências profissionais.

Enquanto isso busque trabalho voluntário, cursos gratuitos e se envolva nas atividades extras do seu meio.

Se a sua escola ou comunidade não têm projetos que tragam benefícios para a sociedade, que tal você tomar essa iniciativa? Pode ser um grande diferencial para o seu currículo, além de agregar muito valor a outras pessoas e conhecimento para si próprio.

Dicas básicas, porém valiosas:

  • Nunca minta num currículo. Você terá que provar que sabe desempenhar todas as habilidades que apresentou. Além disso, mentir será o início de uma relação tóxica. Lembre-se disso!
  • Não se esqueça de colocar os seus contatos. De que adianta o recrutador achar o seu perfil interessante se não encontrá-lo depois? Insira o seu e-mail e lembre-se de checá-lo diariamente. Indique se o número de telefone tem WhatsApp e não coloque o número de contatos de amigos e parentes;
  • Faça um esforço para digitar o seu currículo e formatá-lo de uma forma apresentável. Currículos preenchidos a mão ou que não apresentam onde uma sessão termina e a outra começa são mal-vistos. Utilize bem os títulos e os espaços do papel e peça o feedback de um amigo;

O que a empresa não quer ver num currículo?

Alguns profissionais têm a mania de contar cada detalhe da sua vida no currículo o que acaba poluindo toda a informação necessária. Vamos ver o que são dados desnecessários em cada uma das sessões e algumas dicas importantes.

É cada currículo que a gente vê... Dá uma dor no coração. 
Photo by Roi Dimor on Unsplash.

Na série "Processos Seletivos" vamos conhecer a história do Gian e como ele se preparou para conseguir a vaga que queria na empresa que queria.

O primeiro texto é sobre currículo e ensina como montar um bom CV e como chamar atenção dos recrutadores.
É cada currículo que a gente vê… Dá uma dor no coração.
Photo by Roi Dimor on Unsplash

Contatos

A sua nacionalidade só será importante se você não for brasileiro. Naturalidade não irá atrapalhar e estado civil é irrelevante. Os únicos dados pessoais que o recrutador quer mesmo saber são telefone/WhatsApp, e-mail e endereço.

Site e um perfil caprichado no LinkedIn podem ser um diferencial.

Dica: não perca uma oportunidade porque o contato foi impossível de acontecer. Torne-se disponível.

Formação acadêmica

Notas, frequência em sala de aula e o seu nível em comparação com os demais colegas só fazem bem para o seu ego. Para o recrutador é interessante saber as datas de início e término, o título e a instituição de ensino.

Se você participou de algum projeto acadêmico (semana acadêmica, diretório, pesquisa, empresa júnior) pode ser um diferencial, porém detenha-se a uma descrição breve.

Experiência profissional

Aqui o que importa é a qualidade da experiência. Por isso descreva as suas atividades, resultados alcançados e, obviamente, não se esqueça de informar as datas de início e término, a empresa e os cargos desempenhados.

Detenha-se às experiências mais relevantes e limite o seu currículo a apenas três experiências profissionais. Organize-as em ordem cronológica da mais recente para a mais antiga (a mais recente no topo).

Certificações e cursos

Só mencione se for relevante. Curso de informática básica, certificado de participação em palestra e curso de Photoshop realizado há mais de cinco anos, só irão prejudicar a sua imagem. É encheção de linguiça.

Coloque no seu currículo apenas os cursos mais recentes e que sejam relevantes para a vaga. Não adianta mostrar que fez um curso de oratória para uma vaga de designer, por exemplo.

Voluntariado

Não acrescente projetos de curta duração ou ultrapassados. O principal aqui é saber qual foi o seu papel, em que local, através de que ONG, o tempo de duração e o que você aprendeu dessa experiência que pode ser relevante para a função que você está se aplicando.

Experiência internacional

Intercâmbios, projetos, cursos e atividades profissionais são sempre bem-vindas e não têm data de validade. Turismo, por outro lado, será encarado como prepotência.

Encaminhando currículos e entrando nos processos seletivos

Como preparar um currículo vencedor
Encaminhado o seu currículo.
Photo by Glenn Carstens-Peters on Unsplash

Agora que você sabe quais empresas e vagas são as ideais para você e o que os recrutadores querem encontrar no seu currículo, estamos prontos para entregar os documentos.

Mas antes… (como diria Carlos Merigo).

Atenção para a dica fundamental que garantirá uma entrevista de emprego: faça um currículo especial para cada vaga e empresa.

Monte um documento específico para o emprego do seu interesse. Isso porque as empresas apreciam candidatos que se preparam especificamente para determinada vaga.

Se o seu currículo e o seu e-mail parecerem muito genéricos, ou seja, que foram escritos da mesma forma e enviados para umas cem empresas, os recrutadores tendem a não dar tanta importância.


O que também pode funcionar é montar um currículo específico para determinado cargo e personalizar o e-mail. Deixe claro os seus objetivos para estar se aplicando e porque você é o candidato ideal.

Sintetize esses pontos, porém. E-mail mal escrito, muito longo, sem objetividade e sem criatividade não será lido.


Criatividade na largada

Você pode ter criatividade na hora de chamar atenção do recrutador e utilizar diversas formas de aplicação:

  • Há histórias de pessoas que gravaram alguma música, poema ou RAP especialmente para uma vaga e cativaram os recrutadores;
  • Use textos criativos e engraçados na medida certa;
  • Utilize algum template do Canva se você sentir essa liberdade específica da vaga ou na cultura da empresa;
  • Tenha um perfil no LinkedIn. Além de ser ótimo para gerar network e encontrar vagas de trabalho, demonstra profissionalismo e interesse em criar uma rede de contatos;
  • Gere conteúdo em blogs ou redes sociais. É ótimo para demonstrar o seu conhecimento e autoridade na área de atuação; e
  • Comece a mexer no WordPress.com. Ter o próprio site gera créditos no mercado de trabalho e pode render alguns contatos interessantes.

Sites de vagas de emprego

O mundo digital está cheio de empresas especializadas em RH que ofertam vagas profissionais, mas nem todas são confiáveis e agradáveis de utilizar. As que têm ganhado espaço no mercado são:

  • vagas.com: ótimo para procurar possibilidades e muitas empresas grandes aderem aos seus serviços. Por isso recomenda-se checar as novidades uma vez por semana e manter o currículo sempre atualizado;
  • gupy.io: as empresas se cadastram na Gupy e divulgam o link das vagas pelas redes sociais. É ótimo para a empresa por vários motivos (usabilidade, efetividade, alcance).

    E é ótimo para o candidato porque o site é muito fácil de usar, muitas empresas estão aderindo e o seu currículo e o resultado dos testes realizados anteriormente ficam salvos no seu login;
  • linkedin.com: é fácil de encontrar a vaga para o seu perfil, porém é muito mais concorrido e o nível das vagas é elevado. Exige-se mais empenho do candidato; e
  • Site da sua empresa dos sonhos: siga diretamente as redes sociais da empresa que você sempre sonhou ingressar e não perca uma só vaga.

Enfrentar o desemprego é uma das tarefas mais estressantes da vida, não é mesmo? Dificuldade de alocação, várias portas fechando e poucas se abrindo, muitos nãos na cara, vagas e processos seletivos ruins.

Não desista de buscar vagas de emprego. Confere essas dicas de currículo!
Mercado de trabalha não está fácil! Photo by Ben White on Unsplash

Tudo isso é muito desgastante, mas não dá pra desistir. Resista e não entre para o grupo de 5 milhões de pessoas desalentadas no Brasil. A sua vaga está a sua espera lá fora e é preciso experimentar todas as estratégias possíveis.

Só neste artigo você recebeu dicas de como montar o seu currículo, do que pode ser decisivo na hora de aplicar a uma vaga e onde procurar. Se na sua cidade está difícil, não recue, afinal o Brasil é gigante. Movimente-se!

Espero que com estes conselhos e com a história do Gian você se motive a melhorar de patamar na vida profissional, seja conseguindo melhores salários e condições de trabalho, seja conseguindo um trabalho por si só.

Acompanhe as nossas redes sociais e confira neste blog os próximos dois artigos que contaram o desfecho do processo seletivo do Gian. Você pode aprender como se sair bem numa entrevista de emprego e como realizar uma boa apresentação.

Se achou que este artigo pode ajudar algum conhecido, compartilhe e deseje a ele boa sorte!

Publicado por Germano Ferreira

Editor-chefe

7 comentários em “Processo seletivo: como preparar um currículo vencedor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: