Estudar inglês: já passou da hora de começar, não é mesmo?

Estudar inglês: já chegou a hora de começar?

Além de ser apaixonante e gerar ótimos conteúdos, o inglês pode proporcionar momentos incríveis, oportunidades de trabalho e amizades por todo o mundo.

Não são, porém, todas as pessoas que tem acesso ao aprendizado da língua inglesa, ou que tem essa relação de amor. Por isso resolvemos dar dicas de como encontrar a melhor forma para você finalmente aprender a falar inglês.

Seja a trabalho ou a turismo ou até mesmo se você não quiser mais passar vergonha no karaokê. Ao menos que você não deseje continuar no status quo, uma hora ou outra você irá precisar estudar o idioma mais falado no mundo.

Basta saber a melhor opção para você. Vamos a elas?

O passo a passo para estudar inglês

Antes de começar aprender inglês aconselhamos que você reflita sobre três situações:

  1. Quais os motivos que você teria para aprender inglês?
  2. Quais os métodos mais eficientes para o seu aprendizado?
  3. E como você prepara o seu meio para recepcionar essa nova língua?

Com essas reflexões nós esperamos que você olhe para esse objetivo com mais ganas, que você saiba que não está perdendo tempo e que você já está se acostumando com o novo idioma.

Vale a pena olharmos para o terceiro ponto agora: você consome cultura em inglês?

Escutar músicas, assistir filmes e ler livros na língua podem te deixar mais confortável e aberto a escutar frases em outro idioma. Se o seu celular ou o seu computador não estão configurados em inglês, você ainda não está preparado para receber essa novidade!

Falamos sobre isso também em “Falar espanhol pode ser o seu diferencial no processo seletivo“.

Depois de refletir chegou a hora de começarmos a pesquisar onde encontrar o método que se encaixa no seu perfil.

Sem dinheiro e sem tempo

Com a pandemia de 2020 o brasileiro sentiu na pele a necessidade do mundo digital, assim como a facilidade de se encontrar com qualquer pessoa do planeta.

As redes sociais e as ferramentas de videoconferência facilitaram o networking e hoje você pode encontrar qualquer pessoa com grande facilidade.

Por que não se conectar com um indiano, por exemplo, pelo LinkedIn e trocar aulas de português por inglês?

Se você for bom em criar relacionamentos e ter determinação para manter esses encontros por uma longa duração, fica fácil encontrar uma pessoa que fale inglês e quer aprender o seu idioma, nos horários que se encaixam conforme o fuso diferenciado.

E melhor: de graça!

Não há melhor maneira de conhecer um novo idioma que falar ele constantemente.

Se eu tivesse uma motivação real para aprender árabe, meu amigo egípcio, Ahmed Hussein Riad, estaria falando um espanhol perfeito e eu o árabe.

Sem tempo, porém com dinheiro

Outra alternativa para quem não sobra tempo, mas tem melhores condições financeiras é estudar inglês nas férias.

O melhor jeito de se fazer isso é em intercâmbio.

Aliás, até para quem tem um salário razoável é possível economizar durante um ano e viajar depois desse período.

Com o intercâmbio você aproveita pra conhecer algum lugar novo e usa o tempo que achar necessário para ter aulas.

Os melhores países para estudar inglês são Nova Zelândia e África do Sul, por serem acessíveis e talvez os únicos países em que é possível fugir de outros brasileiros.

Irlanda, Canadá, Estados Unidos e Inglaterra foram dominados por latinos e é possível que você volte com um nível de inglês pior.

Se você gosta de destinos mais exóticos há ainda a Índia, a Jamaica, Trinidad e Tobago, o Sudão e outros países colonizados pelos britânicos. Porém aqui a possibilidade de encontrar um intercâmbio via agências brasileiras é mais remota.

Você pode encontrar outros programas de intercâmbio de longa duração, como o Au Pair, trabalho + estudo, entre outros, aqui. Quem sabe você não encontra uma oportunidade profissional e se estabelece internacionalmente!?

Cursos de inglês no exterior são muito eficientes e, se bem utilizado o tempo de intercâmbio, eles podem equivaler a anos de cursinho no Brasil. Mas somente o constante contato com a língua faz de você fluente em inglês, procure se manter atualizado.

A importância do estudo recorrente de idiomas

Você conhece a história do rapaz que foi aos Estados Unidos, conheceu e conviveu com tantos brasileiros e por tanto tempo, que voltou falando menos inglês do que antes da viagem?

Além desse fenômeno, passar muito tempo no Brasil sem falar inglês pode nos deixar enferrujado e despreparado para a próxima oportunidade.

E é aqui que você descobre que precisa investir no estudo da língua para sempre, se quiser seguir viajando!

Aí está a importância do cursinho de inglês.

Além disso algumas pessoas precisam criar a responsabilidade e o compromisso consigo mesmo de comparecer à sala de aula. Acontece isso com você também?

Não podemos negar a eficácia dos institutos de idiomas: foram anos de estudo para depois ganharem anos de experiência.

Qualquer metodologia que não se mantém por muito tempo e não funcionasse não ganharia a credibilidade de escolas como CCAA, Fisk, Yázigi, Wizard, CNA, entre outras, que possuem esse fator essencial para provar de que a sua metodologia funciona.

Qual escola de idiomas é a mais eficaz?

Aquela que se encaixa ao seu perfil!

A dica aqui é que você prove uma aula de cada instituto para sentir qual te deixa mais confortável e se mostra mais eficaz ao seu perfil.

Bora ver um pitaco sobre as diferentes metodologias?

CCAA

Com o passar do tempo a escola foi tornando o seu método mais voltado para a conversação.

Hoje é possível praticar mais exercícios de perguntas e respostas e simulação de conversas. No momento, nos níveis pós-avançado, a escrita é bastante exercitada. Textos e mais textos satisfazem a sua vontade de escrever em inglês e o resultado pode ser bastante positivo.

Yázigi

Bastante conversa. Mais conversa que qualquer método já visto

O método é dinâmico, estimula apresentações em público e simula diversos tipos de situações em que se utiliza o idioma.

Para os extrovertidos, as aulas fazem muito sentido e é muito eficiente no tocante a comunicação sociocultural. Para os introvertidos, podem ser importantes para desenvolver a desinibição.

Wizard

Método bem repetitivo, boa parte da aula é repetição e reestruturação de frases.

Ótimo para o desenvolvimento da pronúncia e da gramática, porém péssimo para a interação social no idioma estrangeiro.

É eficiente porque alunos se formaram na escola e depois que engrenam uma conversa com um estrangeiro a comunicação é tão eficaz quanto a de alunos de outras escolas. Pode ser que a fala se torne um pouco mais robotizada que o normal.

O que te impede de começar a estudar inglês hoje?

Derrubamos as desculpas de dinheiro, tempo e metodologia. O que faz você não estudar hoje?

Nesse texto você viu como começar a estudar idiomas fazendo networking, viajando e estudando na sala de aula. Basta escolher o que funciona melhor pra você.

O fato é que você vai precisar se adaptar e gostar de estudar inglês!

Independente do meio que você escolher fique atento a essas dicas e depois conta aqui nos comentários se esse conteúdo valeu a pena.

Lembre-se: refletir, pesquisar e se manter atualizado. Esse é o passo a passo para você que está pensando em aprender uma nova língua.

Publicado por Germano Ferreira

Editor-chefe

Um comentário em “Estudar inglês: já passou da hora de começar, não é mesmo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: