Hábito 1: seja proativo

O primeiro hábito de 7

No livro 7 Hábitos Das Pessoas Altamente Eficazes, Stephen R. Covey oferece para o seu leitor um compilado de três transformações pessoais para uma pessoa se tornar independente, outros três para se fazer interdependente e um último para manter essa pessoa vitoriosa nos meios particular e público.

Essa coleção de ensinamentos é um resultado de anos de estudo do autor, aprendendo sobre diversas teorias comportamentais, que agora ele passa adiante com esse livro dinâmico e de fácil leitura, visando o desenvolvimento do maior número de pessoas possível.

Mas antes de falarmos dos hábitos, precisamos falar do motivo da criação desse artigo.

O autor mostra uma visão dos problemas corriqueiros de cada um e ensina que uma das principais armas para resolver determinado problema é, primeiramente, a mudança de paradigma, mudança do seu ponto de vista para com o problema, e depois a mudança dos hábitos para que certos conflitos deixem de ser frequentes.

Um dos exercícios práticos que o livro traz é que o leitor faça a leitura de modo a ensinar à alguém aquilo que se compreende da obra. Por isso, nesse mês especial de Black Friday, nós vamos compartilhar os ensinamentos do livro!

O primeiro conteúdo será sobre o primeiro hábito para a vitória particular: ser proativo.

O hábito

Stephen R. Covey ensina que, antes de mais nada, devemos assumir a responsabilidade sobre os nossos atos.

É claro que cada um tem os problemas proporcionais ao ambiente em que foi condicionado a viver, mas de nada adianta reclamar do seu estado atual e achar inúmeros culpados para os conflitos que você vive.

Ninguém pode te ajudar mais do que você mesmo!

O autor criou um modelo para explicar a pro-atividade.

“Os proativos continuam sendo influenciados pelos estímulos externos, sejam estes sociais, físicos ou psicológicos. Mas a resposta aos estímulos, consciente ou inconsciente, é uma escolha ou resposta baseada em valores.”

Stephen R. Covey

Vamos dar um exemplo baseado numa história real para explicar o sentido de pro-atividade que a obra traz. Acompanhe!

A história de Lamine

Morador de Dakar, Lamine Badji dividia um quarto de 3m x 3m com Bara Dioukhané Diedhiou.

Podemos descrever o quarto da seguinte forma: uma porta, uma janela, um colchão, um ventilador, um banco, uma mesa e um computador para realizar seus trabalhos de faculdade, jogar FIFA e assistir Game of Thrones de vez em quando.

O banheiro era dividido com outros quinze moradores do mesmo andar, onde faz-se as necessidades num buraco e toma-se banho à balde. Internet e água potável disponíveis eram sonhos distantes para ambos.

Lamine tinha tudo para ser uma pessoa infeliz: perdeu os pais na juventude e tinha que usar o dinheiro da bolsa da faculdade para sustentar seus vários irmãos que moram no sul do país.

Porém ele é feliz! Lamine encara a sua situação de miséria como um motivo de força para batalhar por seus irmãos.

Se mantem sempre informado, tem muito conhecimento sobre direito, política e economia, além de falar sete línguas. Você dificilmente o encontrará cabisbaixo.

Lamine é proativo. Sabe que há poucas pessoas que podem lhe ajudar, por isso não espera pelos outros, nem culpa o governo pela sua situação. É independente e transforma esses conflitos em força para vencer cada dia.

“Uma das maneiras mais eficazes de melhorar nossa consciência sobre o grau de pro-atividade que atingimos é perceber onde concentramos nosso tempo e nossa energia.”

Stephen R. Covey

Seja proativo

Para o autor de 7 Hábitos Das Pessoas Altamente Eficazes, nós temos a liberdade de escolher com o que nos preocuparmos e com o que realmente investir esforço para nos tornarmos cada vez mais proativos.

Ele separa nos círculos de preocupação e de influência:

  • No círculo de influência estão todas as nossas preocupações em que podemos interferir, modificar. A medida em que focamos naquilo que nos diz respeito, percebemos o tamanho da nossa capacidade proativa e aumentamos, aos poucos, a nossa influência; e
  • Se no concentramos no círculo de preocupação, passamos muito tempo investindo esforço em problemas dos meios ambiente e político, por exemplo, deixamos de cuidar do nosso espaço e passamos a ser pessoas reativas, ao invés de proativos.

Mais do que deixar de culpar a tudo e a todos, o escritor nos diz para movermos, para deixar de reagir a estímulos externos e absorvê-los como pontos de melhoria e tomarmos as iniciativas em que de fato temos alcance.

Se transformarmos esses princípios em hábitos, nos tornaremos pessoas mais eficazes e satisfeitas.

É um processo penoso quebrar o status quo, que demanda força de vontade, mas que trará resultados positivos lá na frente.

Sabendo disso agora podemos partir para os próximos seis hábitos que completam esse ciclo de aprendizado. Siga-nos nas redes sociais para não perder os próximos conteúdos!

Publicado por Germano Ferreira

Editor-chefe

4 comentários em “Hábito 1: seja proativo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: