Hábito 5: procure primeiro compreender, depois ser compreendido

O Hábito 5: Procure primeiro compreender, para depois ser compreendido

Sabe aquele papo do seu chefe que responde alguma ideia de mudança com a celebre frase: “Você está reclamando de boca cheia, eu fazia tudo o que você fazia e mais um pouco, sem reclamar.”?

Ou então dos seus pais: “Porque no meu tempo nós ‘ia’ pra escola com um saco de açúcar pra carregar os livros e ‘caminhava’ 10 km até chegar na escola.“?

Hábitos muito comuns entre as pessoas que não sabem como desenvolver uma relação ou como resolver um problema emocional do próximo.

Bem parecido com o hábito anterior.

Pensar em vitória para ambos os lados, é uma prática que desenvolve a empatia e prepara você para prestar mais atenção no próximo. Prestar mais atenção no que a outra pessoa está tentando dizer!

Desenvolver a empatia do espírito Ganha/Ganha é também desenvolver a prática de não apenas desejar o bem para o outro, mas sim entender o que este está realmente dizendo. Vamos entender um pouco melhor o que isso tudo quer dizer?

O hábito

Stephen R. Covey começa o capítulo com o exemplo de algum médico que faria uma prescrição sem fazer um diagnóstico confiável no paciente.

Como você voltaria a consultar com um médico que te atende em dois minutos, prescreve um remédio para dor de cabeça (sendo que você chegou lá com dor de estômago) somente com base na percepção do médico e suas experiências passadas?

Se você não confia no diagnóstico, você não confia na prescrição!

É o que acontece nas nossas relações diárias, o que nos exige prática. A atitude de procurar entender o que a pessoa está realmente falando não é tão simples quanto parece.

Geralmente nós nos pegamos apenas escutando a outra pessoa e querendo compartilhar a nossa própria experiência com relação ao determinado assunto.

-“Esta semana não está nada fácil pra mim.” – o funcionário fala para o chefe.

-“Sei como é. Esse horário é complicado mesmo. Mas você se acostuma. Eu também senti no início. Logo passa.”

Sabe nada!

Como você sabe que o problema é realmente o horário de trabalho? Não poderia ser uma criança recém nascida em casa? Ou o trabalho sobrecarregado que algum outro funcionário está empurrando para o novato? O chefe, no diálogo a cima, acaba de perder uma oportunidade de estabelecer uma relação mais próxima com o seu funcionário.

E além de perder a chance de o conhecer melhor, fechou a porta para que o empregado compartilhe futuros conflitos emocionais. São grandes as chances desse funcionário se tornar improdutivo por falta de motivação e deixar de confiar no seu superior, afinal ele não está ali para te ajudar ou compreender a sua situação.

Ninguém está ouvindo ninguém | Luciano Potter | TEDxExposicao – YouTube

Compreender em primeiro lugar

O autor do livro “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes” dá a dica de algumas habilidades que você consegue desenvolver para facilitar a escuta empática. Descubra!

1 – Repetição

O primeiro estágio para atingir a perfeição nesse hábito é repetir o conteúdo na informação entregue a você.

Enquanto o outro diz: “Esta semana não está nada fácil pra mim.” Você repete a mensagem na terceira pessoa: “Não está sendo nada fácil para você.”

“Você essencialmente repetiu o conteúdo do que foi dito. Não avaliou, investigou, aconselhou ou interpretou. Pelo menos você mostrou que estava prestando atenção nas palavras. Mas, para compreender, é preciso mais.”

Stephen R. Covey

2 – Reestruturação

O segundo estágio seria colocar o conteúdo em outras palavras:

“Esta semana não está nada fácil pra mim.”

“Você está tendo dificuldades esta semana.”

3 – Identifica o sentimento

Num estágio mais avançado você reflete o sentimento:

“Esta semana não está nada fácil pra mim.”

“Você está frustrado.”

Portanto, a partir de agora você está prestando atenção no sentimento da pessoa com relação ao que ela está dizendo e isso já é um grande avanço.

4 – Busca o motivo do sentimento

Por fim, no último estágio você reestrutura o conteúdo e reflete o sentimento. Assim já se faz possível com que a pessoa reflita no que ela está sentindo e realmente se sentir confortável em contar o que está acontecendo.

Ela vê que você está interessado e preocupado com a situação…

“Esta semana não está nada fácil pra mim.”

“Alguma coisa esta semana está lhe deixando frustrado.”

“Sim, minha mulher pediu divórcio e não estou conseguindo dormir direito essa semana. Por isso queria lhe pedir um pouco de paciência comigo. Posso render mais do que isso, viu?”

Toma cuidado com essas técnicas, porque quando feitas sem intenção verdadeira e percebidas ao longo do tempo, a relação pode deteriorar-se. Por isso é importante manter a Conta Bancária Emocional sempre positiva e querer realmente compreender o próximo.

Se não estiver com tempo ou paciência para conversar, não o faça neste momento, você pode educadamente responder da seguinte forma:

“Esta semana não está nada fácil pra mim.”

“O que você acha de conversarmos sobre isso no final da tarde? Quero saber pelo o que você está passando e dar total atenção a isso.”

Depois procure ser compreendido

Não preciso compartilhar a importância de ser compreendido, afinal não se sabe outro jeito sustentável de se conseguir aquilo que deseja se não argumentando e buscando alcançar o seu objetivo.

“Quando você consegue expor suas ideias com clareza, objetividade, usando imagens claras e, mais importante, dentro de contexto – o contexto da profunda compreensão dos paradigmas e preocupações dos outros -, você aumenta significativamente a credibilidade de suas próprias ideias.”

Stephen R. Covey

Um livro que complementa muito bem essa teoria do quinto hábito de Stephen R. Covey, é o livro “Comunicação não-violenta”, de Marshall B. Rosenberg.

Consegue ver como a empatia e a importância de comunicar os seus sentimentos de forma clara trazem benefícios para os seus relacionamentos? Esse é um ensinamento muito complementar ao pensamento ganha/ganha e que receberá um ótimo desfecho com o sexto hábito dessa série!

Ou seja, estamos quase lá.

Falta apenas um hábito para treinarmos a interdependência e alcançarmos a vitória pública. Semana que vem vamos saber o que o autor de “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes” diz sobre o sexto hábito: crie sinergia.

Você percebeu que o artigo dessa semana revelou um termo novo? Se você quer saber mais sobre Conta Bancária Emocional, manifesta a sua vontade aqui nos comentários.

E não se esqueça de compartilhar esse conteúdo com os seus amigos, para levar esse conhecimento para mais pessoas!

Publicado por Germano Ferreira

Editor-chefe

6 comentários em “Hábito 5: procure primeiro compreender, depois ser compreendido

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: